Sport vence por margem mínima

A equipa sénior do SC Rio Tinto venceu o CF Perosinho, em jogo a contar para a 12.ª Jornada da Divisão de Elite, por uma bola a zero.

Pré-Jogo

O Sport ocupa a terceira posição da tabela com os olhos postos na segunda fase da competição. Já o CF Perosinho ocupa os lugares do fundo da tabela com 5 pontos conquistados.

Segundo o ZeroZero defrontamos a equipa gaiense por 13 ocasiões (já com o encontro de hoje), com um histórico positivo para o Sport (a última vitória do Perosinho ante o Sport data de 2008).

Desde logo notamos que a claque “Febre Amarela” não irá marcar presença no jogo.

Hélder, Neto, Fábio, Artur, Bruno, Freixo, Marcelo, Rui, Miguel, Ivo e Freitas

Hélder, Neto, Fábio, Artur, Bruno, Freixo, Marcelo, Rui, Miguel, Ivo e Freitas

Primeira Parte

O onze escolhido por Vítor Oliveira foi: Ivo na baliza; Fábio, Artur, Neto e Hélder na defesa; Freixo, Bruno Costa, Marcelo e Miguel Almeida no miolo; Rui Silva e Pedro Freitas na frente de ataque.

Na equipa visitante vemos que Pera é titular e soubemos que Lato Djaló já não faz parte do clube (mas está presente na bancada).

A partida começa morna, sem grandes oportunidades, com o Sport a tomar conta do jogo, com mais posse de bola, mas sem criar oportunidades claras de golo. Por volta do quarto de hora de jogo, o CF Perosinho tem um bom lance na direita do ataque, protagonizado por Marquinho, mas que termina com um remate bastante ao lado da baliza de Ivo. O Rio Tinto tem igualmente uma oportunidade pelo centro do terreno, mas que também acaba com a bola a sair ao lado da baliza. Por volta dos 25′ de jogo, num livre batido na esquerda, Paulo Freixo cabeceia a bola que passa ligeiramente por cima da baliza gaiense. Mais uns minutos e Bruno Costa desmarca Miguel Almeida pelo centro do terreno, mas no duelo com o guarda-redes visitante a bola acaba por ser defendida.

Bruno Costa a lançar mais um ataque

Bruno Costa a lançar mais um ataque

A partir desta altura o Sport começa a atacar mais e a ser mais incisivo, tanto pelo centro do terreno como pelas alas com Marcelo na esquerda e Miguel Almeida na direita, sempre apoiados pelos defesas (Hélder na esquerda e Neto na direita). Já perto do final da primeira parte Fábio bate um livre em que a bola passa, novamente, por cima da baliza e Artur teve ainda um lance em que enviou a bola ligeiramente desenquadrada da baliza adversária.

Freitas e Bruno Costa

Freitas e Bruno Costa

Intervalo, Ambiente e Bar

Chegamos ao intervalo com o Sport em ascendência e à procura do golo. Com várias oportunidades de golo criadas, tanto pelas alas como pelo centro do terreno, em lances de bola parada ou em transições rápidas, a equipa tentava usar todo o reportório para chegar ao golo. A equipa do CF Perosinho teve alguns lances no meio-campo do Sport, mas quase sempre em contra-ataque.

Reparamos ainda que durante esta primeira parte um dos adeptos mais carismáticos do Sport esteve largos minutos sentado, falamos claro de Zé Lamego.

Zé Lamego a dar a táctica

Zé Lamego a dar a táctica

Segunda Parte

Na segunda parte o técnico Vítor Oliveira não fez substituições e logo aos 57′, num canto marcado na esquerda, Freitas quase marca golo de calcanhar, a bola sobra para Fábio que dispara uma bomba à trave da baliza adversária. Passados apenas cinco minutos, Marcelo desmarca Pedro Freitas na esquerda do ataque, o avançado do Sport conseguiu ultrapassar o guarda-redes, mas um defesa gaiense corta a bola em cima da linha, a bola sobra para Rui Silva que marca o golo solitário da partida.

Logo de seguida Jean e Sardinha entram para os lugares de Miguel Almeida e Rui Silva.

A partir do golo, a equipa do CF Perosinho foi atrás do golo e tomou mais conta da bola sem, no entanto, o Sport alguma vez ter perdido o controlo do jogo.

Aos 70′ Hélder é expulso (segundo amarelo) e entra em campo Rúben (por troca com Bruno Costa), João Neto passou para a ala oposta.

O Sport conseguiu acalmar o jogo, perante as investidas dos gaienses e segurar os três pontos, mesmo no final da partida, aquando do ataque final do CF Perosinho a defesa do Sport não vacilou. O melhor lance aconteceu já aos 85′, num livre marcado na esquerda em que o Perosinho esteve perto de marcar por 2 ocasiões e no final um pontapé de bicicleta de belo efeito enviou a bola por cima da trave.

Lance Perosinho

Lance Perosinho

Nesta altura já Zé Lamego dava a táctica de como defender e contra-atacar, percorrendo a bancada como é seu hábito. Nesta altura de maior pressão do CF Perosinho houve inclusive um sócio que perdeu a sola do sapato, tais eram os nervos.

Final do Encontro, Destaques e Táctica de Bancada

A vitória do Sport foi merecida, apesar de algo sofrida no final, mas acima de tudo o Sport foi a melhor equipa em campo. Num jogo nem sempre entusiasmante, mas foi sempre o Sport que tomou a iniciativa, com bolas na direita, na esquerda, pelo meio, por cima, sempre à procura do golo. O CF Perosinho acordou depois do golo sofrido e “só” causou mossa já nos últimos minutos da partida, aquando do ataque final à baliza de Ivo.

Neto jogou a defesa lateral, tanto na esquerda como na direita, sendo que está indicado como Avançado, é de louvar ter feito os dois lados da defesa a um bom nível;

Fábio esteve imperial no centro da defesa (com o auxílio do também adaptado Artur) e além disso ainda foi lá à frente causar o pânico na defesa adversária aquando das bolas paradas; Rúben (que entrou para colmatar a expulsão de Hélder) entrou muito bem na partida (e especialmente na fase da partida em que entrou) teve uma mão-cheia de cortes fundamentais;

Bruno Costa, nesta sua segunda passagem por Rio Tinto, foi um dos motores da equipa, sempre a construir oportunidades para os colegas (e para a equipa claro);

Na frente de ataque, destaque para Pedro Freitas, sempre muito combativo;

Na equipa gaiense destaque para Pera, ex-Nogueirense que nos dá ideia de ter imenso potencial e ainda para a dupla de centrais Sousa e Maia.

Final da partida

Final da partida

Próxima Partida

Após esta vitória e com os resultados da jornada, o Sport ocupa a terceira posição da tabela com os mesmos pontos que o Folgosa e com menos um ponto que o Foz.

No próximo domingo iremos a Coimbrões defrontar a equipa local.

Esta crónica/sátira é exclusivamente da autoria do Sérgio que não percebe nada de bola, vê mal ao longe, escreve como aprendeu na escola (sem AO), não aceita (nem faz) crónicas/sátiras por encomenda e gosta de falar de si na terceira pessoal do plural.

Comentários

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.