Seniores – 4ª Jornada do Campeonato (vs. AD Grijó)

Campeonato Elite – AD GRIJÓ VS SC RIO TINTO

São 15h10 e saímos de Rio Tinto em direcção a Grijó em Vila Nova de Gaia para assistir à 4ª jornada do campeonato d’Elite. No fim-de-semana passado não estivemos presentes fisicamente mas sofremos à distância e estamos ansiosos por voltar a ver a nossa equipa a jogar, ainda mais depois daquilo que ouvimos dizer do jogo diante do Rio Ave B.

Chegamos a Grijó e arranjamos lugar com vista privilegiada para o km 287 da A1 ao som de um belo kuduro que emana das colunas do complexo desportivo de Grijó. O sol não está particularmente forte e damos graças que a nossa mãezinha nos recomendou a trazer um agasalho, mais tarde iremos dar uso ao mesmo.

Desta feita viemos equipados para tirar notas e fazer uma crónica mais assertiva com factos e minutos dos factos, no entanto sacrificamos a máquina fotográfica, por isso hoje é só para ler.

O Sport entra em campo com Matos, Simão, Jorge, Boni e Macieira na defesa. No miolo do terreno alinham Andrézinho, Carlos Sousa e Vitinha. Diogo, Maga e Bruno Teixeira são as peças mais ofensivas no xadrez montado por Manuel Pinheiro para este embate frente à AD Grijó. Diz-nos o ZeroZero.pt que o Sport tem 6 vitórias, 6 empates e 3 derrotas diante da equipa gaiense.

Na equipa do Grijó vemos que Carminé é titular e enverga o número 88. Por outro lado o ex-88 do SC Rio Tinto que já alinhou pela AD Grijó encontra-se na bancada, falamos claro do homem do pulmão de ferro, também conhecido por Careca.

Primeira Parte

A primeira meia-hora de jogo foi disputada de parte a parte, com lances de algum perigo nas duas áreas, o Sport tentando chegar ao golo através de bola corrida e o Grijó com bolas paradas.

Logo no primeiro minuto Boni perde uma bola à entrada da área e é obrigado a cometer falta sobre um jogador do Grijó, na cobrança do livre Carminé envia a bola com muito perigo mas a mesma acaba por sair para canto, estava criada a primeira ocasião de algum perigo da tarde.

Passados 5 minutos numa jogada rápida iniciada por Vitinha que desmarca Maga que por sua vez coloca a bola dentro da área mas Diogo não consegue dar o melhor seguimento ao lance.

Aos 10 minutos de jogo, num canto batido na direita, a bola sobra para Boni no lado esquerdo da área mas o pontapé calhou-lhe mal e perdeu-se mais uma oportunidade para o Sport.

11 minutos de jogo e Carminé ganha mais um livre na entrada da área do Sport, a AD Grijó a aproveitar tanto para ensaiar livres estudados como a tentar atingir directamente a baliza de Matos. Sempre sem materializar as oportunidades mas equilibrando a partida.

Por volta dos 16 minutos de jogo Macieira bate um livre na direita do ataque e acerta com a bola em cheio em Carminé. Não sabemos se foi propositado ou não mas deixamos o boato no ar.

Ao minuto 20 Vitinha tem uma bela duma arrancada da esquerda para a direita, conseguindo iludir vários adversários mas não conseguiu finalizar a jogada da melhor forma.

Perto da meia-hora de jogo Matos apanha a bola fora da grande-área com as mãos, de onde estamos situados parece que realmente o nosso guardião estava com as mãos fora da área. Na marcação do livre Carminé faz a bola passar muito perto da baliza de Matos.

A partir daqui e até ao final da primeira parte o Sport tomou controlo do jogo e foi tendo algumas oportunidades para inaugurar o marcador, primeiro uma bela triangulação dentro da área do adversário que não deu golo por muito pouco, aos 40′ num livre batido para a área a bola é cortada para canto após cabeceamento de um homem do Sport, aos 42′ Diogo cruza no lado direito uma bola rasteira e quando Bruno Teixeira se prepara para marcar um defesa do Grijó cede canto num corte à última da hora.

Segunda Parte

Chega o intervalo e temos oportunidade para verificar que os wc’s na bancada destinada aos visitantes continuam fechados (tal como no ano passado) e lá vamos nós dar a volta por trás do edifício para irmos usar o wc do outro lado do estádio, aproveitamos também para provar o pão com chouriço do bar local. O pessoal do bar é simpático, tem uma decoração que apreciamos bastantes (cheio de cachecóis dos mais variados clubes de futebol nacionais) mas o pão com chouriço é mediano, não é horrível mas também não é nada de espectacular.

Voltamos ao nosso lugar privilegiado com vista sobre a A1 mesmo a tempo de ver Vitinha dar um pontapé na cara do adversário (sem qualquer intenção do jogador do Rio Tinto que imediatamente meteu as mãos à cabeça) que é sempre um bom começo de segunda parte!

Durante esta segunda parte temos tempo para contar as 47 camionetas de passageiros, os 74 camiões e as 17 caravanas que atravessam o km 287 da principal autoestrada do país, tanto em direcção a sul como a norte. Ficamos felizes por ver que o caravanismo, uma modalidade que tão fortes raízes tem em Portugal, se encontra bem e saudável.

Perto da hora de jogo voltamos a ter acção dentro do sintético com Carlos a ensaiar uma bola para a área na marcação de um livre mas a meter a bola na linha em Simão que consegue arrancar um cruzamento muito perigoso para a área adversária que acabou cortado, mais uma vez, à última da hora para canto.

Com 30 minutos para jogar Manuel Pinheiro tira Maga do jogo e mete Paulo em seu lugar.

A partir do minuto 75 o jogo tornou-se mais quezilento e com muita bola no ar, muita vontade e pouca cabeça em ambas as equipas. Aos 78′ o treinador da AD Grijó recebeu ordem de marcha por parte do árbitro da partida, aos 79′ Carlos Sousa vê a cartolina vermelha (não conseguimos perceber se directo ou segundo amarelo) por uma falta que não conseguimos ver muito bem, ainda estávamos a contar camionetas, aos 85′ César salta com os braços abertos e atinge Paulo na face, vermelho directo para o camisa 22 que até estava a jogar em bom plano.

A 3 minutos dos 90 Diogo, já no coração da grande área gaiense, acerta mal na bola e acaba por rematar sem grande perigo naquela que seria a última oportunidade flagrante da nossa equipa.

Nesta altura as duas equipas estão completamente balanceadas para a frente e tentam chegar ao golo a todo o custo. São tirados 2 foras-de-jogo duvidosos ao Sport (o primeiro aceitamos mas no segundo ficamos com ideia que Bruno Teixeira está pelo menos em linha com a defesa) que deixariam um jogador do Sport na cara do guardião gaiense. No segundo “fora-de-jogo” Paulo recebe cartão vermelho por protestos (achamos nós) logo seguido de um pedido de desculpas e cartão amarelo, todas estas ofertas ao Paulo foram por parte do Sr. Juiz da partida. Ainda neste minuto Manuel Pinheiro promove as últimas alterações na equipa, tirando do terreno de jogo Macieira e Diogo e fazendo entrar Ricardinho e Joel.

O filme da partida fica completo com uma suposta grande penalidade não assinalada na área do Sport já nos minutos de compensação. Como estávamos a contar camionetas não conseguimos ver se realmente era ou não falta.

Destaques e Táctica de Bancada

A AD Grijó foi sempre uma equipa bastante lutadora e trabalhadora mas criou maior perigo maioritariamente por lances de bola parada, quase sempre cobrados por Carminé. Destacamos o capitão Artur, o avermelhado César e ainda Bruninho. Os nossos scouts em Grijó dizem que Carminé tem sido o marcador de bolas paradas de serviço, nem sempre com as melhores prestações em campo, hoje esteve bastante bem na primeira parte, tendo descido de prestação no segundo tempo.

Não fosse alguma falta de sorte à mistura, a nossa equipa podia ter saído de Gaia com a primeira vitória no campeonato. As melhores oportunidades foram criadas com bola corrida e apesar do resultado a equipa do Sport tentou jogar mais à bola (criando mais oportunidades de golo) e menos no “pontapé pá frente”.

Na defesa Jorge esteve bastante certinho e Simão teve sempre muita concorrência no seu lado mas conseguiu impor-se mais na segunda parte, Carlos e André foram incansáveis no meio campo e Vitinha já apareceu mais em jogo, fruto do futebol com bola controlada que já se praticou mais do que o costume. Na frente de ataque Bruno esteve sempre muito esforçado mas nunca muito inspirado, Paulo entrou mal em jogo, destacamos Diogo e Maga que foram sempre tentando fazer chegar as bolas à grande área adversária.

Ficamos com a ideia que é possível ver o Sport a jogar bem à bola com a bola controlada e criar boas oportunidades de golo e não apenas com o “pontapé pá frente”.

Próxima Partida

No próximo domingo o SC Rio Tinto recebe em casa outra equipa da margem sul do Douro, desta feita o SC Dragões Sandinenses que tem mais 1 ponto que o Sport e que ainda não conseguiu nenhuma vitória nesta época. O último embate entre estas duas equipas data de 24-02-2013 e apesar de nos últimos 20 encontros existir um empate em resultados (7 vitórias para cada equipa e 6 empates) nos últimos 6 encontros o Sport ganhou por 4 vezes.

Esta crónica é da autoria do Sérgio que não percebe nada de bola, vê mal ao longe e escreve como aprendeu na escola (sem AO).

 

 

Comentários

Deixe uma resposta