Juvenis A – Resumo do campeonato

A equipa de Juvenis A do SC Rio Tinto conseguiu o principal objetivo da época, a manutenção na 1ª divisão, terminando na 12ª posição, com 31 pontos.

Em casa, no Campo da Ferraria, a equipa amealhou 20 pontos, fruto de 6 vitórias e 2 empates, marcando 21 golos e sofrendo 18. Fora de portas, a equipa conseguiu 11, com 3 vitórias e 2 empates, marcando 16 e sofrendo 35. Na 1ª volta, os sub-17 conseguiram 14 pontos e na 2ª, 17. No total, os comandados de Miguel Gomes conseguiram 9 vitórias, 4 empates e 17 derrotas, num total de 37 golos marcados e sofrendo 35.

O técnico, Miguel Gomes, deixou-nos um resumo sobre a temporada:

“Sabia e tinha consciência do grau de dificuldade deste campeonato. Praticamente, todos os clubes com experiência de campeonatos nacionais, com leques de escolha de jogadores, muito grande. Com campos de futebol sintéticos, em todos os nossos adversários. Mas fomos a jogo com as nossas “armas”. E essas “armas”, foram a coesão de grupo, a organização, o ambiente “familiar” no seio do grupo, a franqueza e a frontalidade para com todos os jogadores e a garra posta em cada lance de cada jogo, permitiram que se tivesse alcançado, este desiderato e feito inédito no SC Rio Tinto. Um grupo de jogadores, com uma vontade enorme de aprender, em que os mesmos que começaram a época, foram os mesmos que a acabaram. Ninguém abandonou o “barco”, pois ele, era estável e flutuava sempre em águas calmas, mesmo depois de derrotas, algumas consecutivas, nunca houve qualquer tipo de pessimismo, ou desespero, ou pôr lugar à disposição, ou demissão. Isso, é para os fracos! Quando se tem confiança no que se faz, tem  é que se continuar a trabalhar mais intensamente e procurar a vitória, que estará ali mais à frente. Este plantel, tinha uma lacuna muito grande, pois fizemos a primeira volta na totalidade, sem ponta de lança e só conseguimos inscrever o Paulo Pinto, vindo do Sousense, a tempo para a primeira jornada da segunda volta, e assim podermos ter um estilo de modelo de jogo, mais condizente com as características de jogadores que temos. Jogadores que fazem excelentes assistências, para um finalizador dentro da área. Os resultados apareceram naturalmente. O nosso calendário de jogos, também não nos foi favorável, pois o início do campeonato, era muito difícil. Em contrapartida, sabia que o final do mesmo, seria mais acessível, e não foi por acaso, que fomos a equipa que nas últimas cinco jornadas, fizemos mais pontos;doze , em quinze possíveis. Os objetivos traçados, passavam pela manutenção, e foram plenamente alcançados. Os jogadores, neste campeonato de primeira divisão, “crescem” sob todos os aspetos. A concentração, é fundamental . Defrontamos adversários que com equipas a disputar os respetivos campeonatos nacionais, e numa altura em que esses campeonatos, estariam parados por força de jogos de seleções, colocaram as suas equipas a disputar o nosso campeonato, para não perderem ritmo competitivo, e naturalmente as dificuldades acrescem. Mas estes entraves, ajudaram-nos a ter muito maior capacidade de sofrimento , e os nossos jogadores estarem mais disponíveis para os obstáculos a transpor. Em conclusão, posso dizer que foi um campeonato muito bem disputado, em que os entraves foram ultrapassados, pelo valor dos nossos atletas, pelo saberem ouvir e cumprir em pleno, o que lhes foi pedido, e pelo ambiente fantástico no balneário. Também, não tivemos, felizmente , nenhuma lesão grave, nem problemas musculares, o que prova o bom trabalho feito durante a época, e o terminar da mesma, com uma frescura física, invejável.”

Comentários